Como convencer às pessoas sobre a importância de uma causa? Como engajar as pessoas na luta pela causa que você defende? Como converter esse engajamento em apoio financeiro efetivo ao seu projeto?

Aparentemente, o termo engajamento responde bem aos anseios daqueles cujos projetos necessitam de apoio para acontecer ou para continuar existindo.

Penso que esse engajamento deva partir do próprio dono do projeto e ir contaminado outras pessoas que encontra ao longo do caminho.

O que percebemos é que, em muitos casos, o próprio dono (proponente) não está engajado na campanha para financiar seu projeto. Talvez por acreditar que é algo tão especial que se efetivará por si mesmo. Ou, quem sabe, por não ter o correto entendimento do esforço necessário e imaginar que basta colocar na plataforma mais famosa para que resto aconteça sozinho. Ou ainda, consciente de não ter pernas para empreender o esforço necessário para conquistar e engajar pessoas nesse processo recorre ao crowdfunding por não ter nada a perder, pois só incidirão custos caso o projeto seja financiado.

Em qualquer um dos casos, o financiamento do projeto através do crowdfunding estará comprometido, por melhor e mais interessante que ele seja. Quase ninguém irá se interessar por algo que nem ao seu próprio criador pareceu impressionar!

Por outro lado, parece-nos muito claro que não se financia um projeto apenas com pessoas engajadas, embora se conquiste imenso terreno através da mobilização delas.

Pessoas engajadas é uma minoria e, muitas vezes, não convertem esse engajamento em apoio financeiro. São pessoas que apoiam a causa, militam por ela e tem imenso poder multiplicador exatamente por dedicar seu tempo e se esforçar por ela. Não se deve esperar delas mais que isso.

É preciso mapear essas pessoas, dialogar com elas, trata-las com transparência e municia-las de informações úteis e relevantes para que possam ser eficientes na mobilização e, ainda mais importante, efetivas na conversão dos apoios financeiros necessários à viabilização do projeto.

Em tese, apoiar financeiramente é o mais confortável. Você não precisa incomodar ninguém, falar com ninguém, argumentar com ninguém, conquistar ninguém e, mesmo assim, pode se sentir bem por ter feito algo útil e bom para a sociedade. E, caso isso não seja o suficiente, ainda existem as contrapartidas (também conhecidas como recompensas) que podem incentivá-lo a tomar essa decisão.

De qualquer modo, você, que não é engajado em uma causa, ou nunca antes se interessou, ou teve contato com ela, só irá ser convencido em ajuda-la por alguém de sua confiança. Correto?

De fato, mesmo que tenhamos consciência de que uma expressiva parcela dos apoiadores que financiarão nosso projeto não é composta de pessoas engajadas, essas pessoas, a começar por você, deverão estar convencidas de que estão fazendo algo em que acreditam. Nesse sentido, parecem importantes os conselhos de Simon Sinek em sua palestra para o TED (Ideas worth spreading) com mais de 5,5 milhões de visualizações!

Basicamente ele diz que as pessoas seguem líderes, não por eles mesmos, mas por compartilharem os mesmos propósitos e acreditarem nas mesmas causas. Elas não o fazem pelos outros, mas por elas mesmas, pelo que elas acreditam e pelo que para elas parece fazer sentido.

Segundo Simon Sinek, devemos mudar nossa forma de comunicação, deixando muito claros os propósitos de nossas ações, para em seguida mostrar como faremos para alcança-los e, só ao final, mostrar o que faremos.

Ele chama isso de Círculo Dourado, ilustrado pela figura abaixo, que, em sua análise costuma ser usado de fora para dentro em nossa comunicação, enquanto deveria, para ser efetivo, ser usado de dentro para fora.

Embora isso pareça fácil (uma simples inversão), ele diz que muitas organizações sabem o que fazem, um número muito inferior consegue explicar como o fazem, e algumas poucas conseguem ser claras ao dizer por que o fazem. Qual é o caso da sua?

 

Blog Soul Social

Categoria: Editorial

Comentários

  1. [...] construa-se uma estratégia de captação de longo prazo que se paute no estabelecimento de novas formas de relacionamento com sua rede de apoiadores e isso vá criando as bases para o financiamento institucional (sem a necessidade de projetos [...]

  2. [...] Esse é o passo mais estratégico, pois é aquele que garante o sucesso de um projeto. [...]

  3. [...] como premissa o uso e a presença do artista nos meios digitais e sua capacidade de mobilizar e engajar sua [...]

  4. [...] que possibilitaram o surgimento do Crowdfunding; Os princípios do Crowdfunding (Cauda Longa e Engajamento) e os elementos constitutivos de uma campanha de [...]

  5. [...] desejem ler sobre o Golden Circle, temos um post no qual tratamos de Engajamento no qual usamos o [...]